Gruta Bonita - Januária - MG / Foto: José Ayrton Labegalini
     
English | Español
 
   
 
       
     
 
CALENDÁRIO COMPLETO

Próxima Atividade
22 a 27/01/2019
IBITIProCa 5


35 CBE
19-22/06/2019

35º CBE
 
   
 

Mural Espeleológico

Se você é sócio da SBE deixe seu recado, convites para explorações etc, para outros cavernistas.
A SBE não se responsabiliza pelo teor das mensagens a qual é de inteira responsabilidade do autor.

Digite sua senha para deixar sua mensagem.


Lançamento do livro Cavernas em Foco - (24/10/2010)

Convido-os a conhecer meu 1º livro Cavernas em Foco - História da Espeleologia Mundial, disponível em: www.bookess.com/read/4505
Trata-se de uma coletânea sobre a História e a Cultura dos Homens relacionando-se com as cavernas, desde os seus primórdios, bem como o surgimento e a evolução da Espeleologia, seus precursores e seus principais trabalhos. Você está convidado a entrar nesse túnel do tempo e conhecer um pouco mais sobre esta fascinante modalidade de ciência-esporte.
Alexandre Felizardo

ALEXANDRE JOSÉ FELIZARDO

SBE lança o boletim SBE ANTROPO ESPELEOLOGIA - (15/10/2007)

A SBE acaba de lançar mais um importante canal de comunicação, desta vez dedicado as relações do homem com as cavernas.
O boletim eletrônico SBE Antropoespeleologia é editado mensalmente pela Seção de História da Espeleologia da SBE e pode ser baixado em PDF na página:
www.sbe.com.br/sbeantropo.asp

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Nota de falecimento - Isaías F. Silva - (16/09/2007)

A espeleologia norte mineira está de luto. Infelizmente, o nosso amigo Isaías, o Zaia, líder do Espeleogrupo Vale do Peruaçu, de Itarambi, faleceu neste sábado, 15 de setembro/07. Isaías era um espeleólogo e ambientalista nato e teve participação ativa no EVP, além de ter colaborado em atividades dos espeleogrupos Peter Lund, GEO e Brasília de Minas.

Nossas condolências à família e amigos.

Mirandes Francisco Pinheiro

SBE APOIA O PROJETO GEOPARQUE VALE DO RIBEIRA - (14/08/2007)

SBE e CPRM em parceria para a implantação do GEOPARQUE VALE DO RIBEIRA:
Visando contribuir para preservar e melhorar as condições socioeconômicas da
região o Serviço Geológico do Brasil, propõe o Projeto Geoparque Alto Vale
do Ribeira, que tem por finalidade desenvolver ações e buscar parcerias para
postular junto à Unesco a inclusão da região na rede mundial de Geoparques.

Saiba mais http://www.cprm.gov.br/Geo_Site/index.htm.


MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Lançado o ESPELEO-TEMA vol. 19 - (15/06/2007)

Acaba de ser lançada a revista ESPELEO-TEMA - publicação científica de estudos co carste e caveras.
Esta edição contém as matérias abaixo com os textos integrais em português e inglês:

- Aplicação de rhodamita-wt no estudo hidrogeológico de sistemas cársticos em Iporanga, estado de São Paulo.

- Controle morfoestrutural e morfotectônico das cavernas, tocas e abrigos de Ipeúna e Itirapina, SP, Brasil.

- Importação e processamento de detritos orgânicos em uma caverna calcária.

- Geologia e controle estrutural de cavernas areníticas em São Jerônimo da Serra - PR.

- Aspéctos da Ecologia de uma população de Lasiodora SP.

Os grupos e sócios individuais da SBE receberão em breve seu exemplar por correio. Os demais interessados podem adquirir seus exemplares na sede da SBE ou na página:
http://www.sbe.com.br/artigos_venda_sbe.asp

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Vendo Macacão tamanho M - (29/05/2007)

repassando aos interessados...

´Olá! Fui do grupo NAE de Belo Horizonte e tenho um macacão para espeleologia que não foi usado. Ele é de tamanho médio, de cor alaranjada e estou vendendo por R$ 50,00. Gostaria de pedir para divulgar e, caso haja interesse, favor entrar em contato através deste email (danilogbh@yahoo.com.br).
Grata, Daniela´


MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

CARTA-MANIFESTO DOS ESTUDANTES DO IGe/UNICAMP - (25/05/2007)

Quarta-feira, 23 de Maio de 2007
CARTA-MANIFESTO DOS ESTUDANTES DO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS (IGe)
Assim como vem sendo colocado, seja no debate já realizado em nosso instituto, seja através dos boletins estudantis, ou ainda através dos artigos e matérias publicadas em jornais, vivenciamos uma reestruturação do ensino superior público paulista - bem como um novo entendimento sobre o papel da educação no estado.
Esta reestruturação foi proposta pelo atual governador de São Paulo, José Serra, já a partir do seu primeiro dia de mandato, através da promulgação de alguns decretos - os famigerados ´decretos do Serra´. Dentre as diversas modificações que estes representam, ressaltem-se: a perda da atual autonomia universitária - que apesar de apresentar alguns problemas, é fruto de uma grande luta, efetivada a partir de 1989 -; o engessamento na gestão do orçamento da universidade - por exemplo, para a transferência de R$ 1 milhão do item ´compra de material´ à construção de um novo prédio (como o do IGe), esta somente se efetivará a partir da autorização do governador, não cabendo mais a universidade decidir sobre tal; - e a
proibição de novas contratações de funcionários para o serviço público, sem a devida autorização do governador - outro duro golpe, já que dificulta a praticamente inexistente contratação de professores, agravando a falta dos mesmos nas universidades públicas, como identificado na avaliação de curso realizada no IGe.
Assim sendo, no último dia 15 (terça-feira), os estudantes da Faculdade de Educação (FE), bem como os do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) decidiram entrar em greve. Assim como estes, trabalhadores da USP também fizeram esta opção, a partir do dia 16/05 (quarta-feira). Nesse mesmo dia, após uma das maiores assembléias gerais dos últimos tempos, estudantes da USP - ocupados na Reitoria daquela universidade há 20 dias - optaram por entrar em greve. O mesmo foi decidido na Unicamp, em Assembléia Geral, realizada também no dia 16/05 - decisão reafirmada ontem, dia 22/05, em nosso instituto. Vale ainda lembrar que uma ocupação há pouco tempo foi realizada na reitoria da Unicamp, bem como na diretoria da Unesp Marília. E todas estas movimentações possuem um eixo central: a luta contra os decretos do governador.
Diante do quadro exposto, e entendendo que vivemos um momento de duros ataques à universidade pública - patrimônio da sociedade como um todo -, nós, estudantes do Instituto de Geociências (IGe) da Unicamp deliberamos, em assembléia geral de estudantes do instituto, realizada no dia 22/05 (terça-feira), entrar em greve. Isso porque, entendemos que este é o único instrumento que nos possibilitará ganhos concretos. Nesse sentido, chamamos todos os estudantes, funcionários e professores a se somarem às movimentações que estão acontecendo.

Assembléia Geral dos Estudantes do IGe

---------
Mensagem enviada pelo
Centro Acadêmico de Geologia Asit Choudhuri
Instituto de Geociências - UNICAMP
Campinas - SP - Brasil
http://www.ige.unicamp.br/~cageac

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Canceladas as audiências públicas: Tijuco Alto - (17/05/2007)

As consultas previstas para o período entre 18 e 21 de maio, a serem
realizadas em quatro diferentes localidades do Vale do Ribeira, sobre o
Estudo de Impacto Ambiental da usina hidrelétrica de Tijuco Alto, na
região do Vale do Ribeira, em SP, foram desmarcadas hoje, 17 de maio.
Novas datas ainda não foram agendadas.

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Viajem Para o 29 CBE - (15/05/2007)

Estamos organizando a viajem para o Congresso em Ouro Preto.
Estaremos viajando com ônibus executivo.
A saída será de Campinas na sede da SBE,
em data de 06/06 ás 21:00 horas, passan-
do por São Paulo ( local a ser viabilizado ),
pois, existem adesões de pessoal em locais diferenciados, então, estudaremos um local favorável a todos.
Retorno em 10/06, no período da tarde.
Estamos disponibilizando o pouso em dois locais, próximos ao congresso, sendo:
Pousada do Pilar - diária $ 50,00 - inclui o café da manhã apenas, as refeições são a parte.
Alojamento estudantil - diária - $ 10,00 - apenas o pouso, sem café da manhã e re -
feições.
O preço da adesão será apenas para o transporte, sendo $ 125,00, o mesmo sendo depositado até o dia 03/06, impreterivelmente.
O valor da adesão, tando na pousada ou alojamento, estará sendo efetuado a pedido e necessidade de cada um.
Este pacote está voltado a um limite mínimo de 30 pessoas e ao máximo de 40 pessoas.
Se em caso de não se ter o número mínimo
de interessados, a mesma não ocorrerá, tendo em vista o fator custo do transporte.
O contato e adesão pode ser efetuado em:
base1espeleotrips@yahoo.com.br.
A/C Leandro.


LEANDRO ROSALEM FERREIRA

29º CBE - Novo prazo para envio de trabalhos - (05/04/2007)

O prazo para envio de trabalhos ao 29º Congresso Brasileiro de Espeleologia foi prorrogado para 30/04/2007.

Confira esta e outras novidades em:
www.sbe.com.br/29cbe.asp

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Nota de Falecimento - Vandir de Andrade - SBE 0038 - (08/03/2007)

A comunidade espeleológica está de luto pela perda de um dos seus mais importantes precursores!
Faleceu na noite de ontem (07/03/2007) nosso sócio Vandir de Andrade (SBE 0038) aos 66 anos de idade.
Seu corpo está sendo velado na residência da família, no Bairro da Serra, e será enterrado nesta tarde (08/03) no cemitério municipal de Iporanga SP.
Vandir, profundo conhecedor do Vale do Ribeira, teve papel de destaque desde o início da SBE na década de 1960, participando de inúmeras descobertas de cavernas acompanhado por Joaquim Justino, Michel Le-Bret, Guy Collet, Pierre Martin e outros. Também esteve presente em muitos Congressos Brasileiros de Espeleologia.
A comunidade espeleológica em luto perde um de seus mais importantes membros!

Nossas sinceras condolências aos familiares e amigos,
Sociedade Brasileira de Espeleologia

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Nota de Falecimento - Coronel Pettená - SBE 1522 - (26/02/2007)

Faleceu nesta madrugada (26/02/2007) nosso sócio Cel. Rodolpho Petenná (SBE 1522) aos 82 anos de idade.
O velório está marcado para a Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EPCEx) de Campinas a partir das 15h de hoje.
O sepultamento do corpo acontece amanhã, às 9h, no cemitério Parque Flamboyant.

Coronel Pettená, como era conhecido, foi um dos maiores incentivadores do turismo em cavernas no Brasil, tendo inestimável contribuição ao desenvolvimento de diversas localidades, em especial a Caverna do Diabo, no sul do Estado de São Paulo.

Nossas sinceras condolências aos familiares e amigos,
Sociedade Brasileira de Espeleologia

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Carta de Dom Cappio ao Presidente - (23/02/2007)

Barra, 21 de fevereiro de 2007 - Quarta-feira de Cinzas

Caro Presidente Lula
Paz e Bem!

Escrevo-lhe hoje, dia em que a Igreja do Brasil lança a Campanha da Fraternidade 2007 sobre a Vida da Amazônia e toda a sua riqueza humana e natural.
O objetivo desta carta, amiga e fraterna, é retomar o diálogo que assumimos juntos por ocasião de nosso encontro no dia 15 de dezembro de 2005 em sua sala de trabalho no Planalto.
Agradeço pelas oportunidades que os representantes da sociedade brasileira e os representantes do governo tivemos de iniciar o debate sobre assuntos tão importantes como: Projeto de Revitalização do Rio São Francisco, Projeto de Transposição de águas do Rio São Francisco, Projeto de Desenvolvimento Alternativo para o semi-árido brasileiro, na busca de um consenso que soe em acontecer numa sociedade democrática.
Retomo o diálogo justamente quando a humanidade, estarrecida, toma consciência das conseqüências do aquecimento global, com impacto em todo o planeta, particularmente na vida de bilhões de seres humanos, inclusive na já historicamente oprimida e humilhada população nordestina.
Retomo o diálogo quando o Rio São Francisco, mais assoreado, sofre uma grande cheia e sua população ribeirinha, a quinhentos metros do rio, passa sede, como mostrou, nessa semana, o Jornal Nacional.
Retomo o diálogo quando uma menina morreu afogada em um dos canais que supre os perímetros irrigados de Petrolina -Pe, por ter ido ´roubar´ água para matar sua sede e de sua família.
Retomo o diálogo quando o senhor fala em iniciar as obras de transposição que irá consumir inicialmente 6,6 bilhões de reais, mais de 50% de todo o orçamento destinado a recursos hídricos no Programa de Aceleração de Crescimento (PAC).
Retomo o diálogo quando o Tribunal de Contas da União (TCU) afirma publicamente, em seu relatório, que o Projeto de Transposição de Águas do São Francisco não beneficia o número de municípios e de pessoas que afirma atingir.
Retomo o diálogo quando o mesmo Tribunal , através do acórdão 2020/2006 determinou ao Ministério da Integração e ao Ministério da Defesa que não utilizem recursos públicos para execução de obra de transposição enquanto não houver decisão definitiva sobre a validade de licença prévia concedida pelo IBAMA.
Retomo o diálogo quando a Agência Nacional de Águas (ANA), organismo de Estado, criado para a gestão estratégica do uso da água no Brasil, propõe 530 obras para solucionar os problemas de abastecimento hídrico até 2015 em todos os núcleos urbanos acima de 5.000 (cinco mil) habitantes do semi-árido brasileiro até 2015. Essas obras beneficiariam as populações mais necessitadas, e custaria 3,6 bilhões de reais, portanto, mais baratas, mais abrangentes, mais eficientes que qualquer obra de transposição hídrica.
Em nosso encontro, acima referido, o senhor me disse que ´não seria louco de levar essa obra à frente se apresentássemos uma alternativa melhor´. Agora, somando as obras propostas pela ANA juntamente com as iniciativas de captação, armazenamento e manejo de água de chuva desenvolvidos pela Articulação do Semi-Árido (ASA), o senhor tem uma chance de escolha muito melhor, pela qual seu governo ficará marcado para sempre na história do nordeste brasileiro, sua terra natal.
Não faltam alternativas. Falta uma decisão política mais lúcida.
Nosso pedido, senhor presidente, é que se retome o diálogo e que se garanta que seja amplo, transparente, verdadeiro e participativo, incluindo toda a sociedade do São Francisco e do Semi-Árido, conforme foi pactuado em Cabrobó em outubro de 2005 e renovado através de pedido formal por carta protocolada em 6 de fevereiro último.
Senhor presidente, sempre vestimos sua camisa. Ainda estamos vestidos nela. Nossa contribuição de fiel militante da causa do povo é para que o senhor seja verdadeiramente aquilo a que se propôs, o de ser o presidente de todo o povo brasileiro, especialmente dos pobres deste país, por serem os que mais necessitam de sua atenção.
Receba nossa saudação amiga e fraterna, com os votos de uma Feliz e Santa Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Dom Frei Luiz Flávio Cappio,OFM
Bispo Diocesano de Barra - Bahia

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

XIV EPELEO - Inscrições no local - (16/02/2007)

A SBE convida todos para o XVI Encontro Paulista de Espeleologia de 17 a 20 de fevereiro em Apiaí SP.

As inscrições pela internet estão encerradas, mais os interessados ainda podem se inscrever diretamente no local do evento: Centro Integrado de Estudos Multidisciplinares (CIEM-Apiaí), estrada Apiaí-Iporanga, nº728, Bairro do Palmital.

Venha para o mundo subterrâneo
PARTICIPE

Mais informações:
www.sbe.com.br/16epeleo.asp

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

A SBP está de site novo - (05/01/2007)

A Sociedade Brasileira de Paleontologia - SBP, entidade colaboradora da SBE, está de site novo.
O novo site, é de fácil visualização e cheio de informações, além de disponibilizar gratuitamente para dowload o Boletim Informativo ´Paleontologia em Destaque´.
Confira:

http://www.sbpbrasil.org

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

PL 2.832/2003 tem parecer pela rejeição. - (14/12/2006)

O Relator da Comissão de Minas e Energia, Deputado Gerson Gabrielli (PFL-BA) emitiu no dia 23 de novembro passado, seu parecer indicando a rejeição do Projeto de Lei 2.832/2003 de autoria do Deputado Hamilton Casara. Este PL tem como objetivo regular a proteção do patrimônio espeleológico nacional, determinando que quaisquer empreendimentos, atividades, planos, políticas ou programas de caráter
transitório ou permanente, que possam causar impactos significativos em áreas dotadas de tal patrimônio dependem de licenciamento ambiental prévio do órgão.

Leia mais sobre no SBE Noticias nº 34 p.2

http://www.sbe.com.br/sbenoticias/SBENoticias_034.pdf

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Nota de Falecimento - Fábio Avari (SBE 0056) - (22/11/2006)

É com profundo pesar que comunicamos o falecimento de nosso amigo e sócio Fabio Avari (SBE 0056) nesta terça-feira dia 21/11/2006 às 20h00 na cidade de Franca - SP.
Fabio Avari filiou-se à SBE em 1973 e foi um dos fundadores do Grupo Espeleológico ´Os Opiliões´ (SBE G010).
O corpo será velado hoje (22/11) a partir das 16h00 no cemitério Chora Menino (Rua Nova dos Portugueses, 85 - Santana, São Paulo SP - telefone: (11) 6973-2570) onde será enterrado amanhã dia 23/11 às 09h00.

A comunidade espeleológica em luto presta suas condolências aos familiares e amigos.

Sociedade Brasileira de Espeleologia


(Informado por Geraldo Bergamo Filho - GEGÊ)

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Novo site da Sociedade Venezoelana de Espeleologia - (21/11/2006)

Estimados colegas del subsuelo:

La Sociedad Venezolana de Espeleología los invita a visitar la nueva página
en:

www.sve-espeleologia.org.ve

Siéntanse en libertad de publicar nuestro ´link´ en sus páginas web
espeleológicas o difundir el enlace en otros listados de correos
electrónicos.

Les reiteramos que estamos a sus gratas órdenes.

Rafael Carreño
Vicepresidente SVE
Caracas

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

19º aniversário da revista Horizonte Geográfico - (09/10/2006)

Caros,

A Revista Horizonte Geográfico acaba de lançar uma edição especial de aniventsário.
A matéria de capa é sobre o Brasil Subterrâneo e apresenta as diversas áreas da espeleologia, além de um apanhado geral do patrimônio espeleológico Brasileiro.
www.horizontegeografico.com.br

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Caverna é tema do Reporter Eco de setembro - (08/09/2006)

O Reporter Eco da Tv Cultura exibe neste mês de setembro uma série de matérias sobre a biodiversidade das cavernas brasileiras.
Os programas são exibidos nos domingos as 14:30 e podem ser visualizados também no site do programa.
Veja:
http://www.tvcultura.com.br/reportereco/materia.asp?materiaid=464

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

EXPEDIÇÃO NO RIO RIBEIRA PROTESTA CONTRA BARRAGENS - (01/09/2006)

A Fundação SOS Mata Atlântica realiza, de 2 a 7 de setembro, a expedição Ribeira Independente de Barragem, que percorrerá de Cerro Azul (PR) a Iguape (SP), para protestar contra a construção de barragens no Rio Ribeira, último rio federal ainda livre deste tipo de interferência. O grande evento de encerramento, acontece no feriado, dia 7 de setembro, junto com o Grito dos Excluídos, em Iguape. Esta ação abre o calendário de eventos pela conservação das águas que a Fundação realiza em setembro. O outro grande marco será em 24 de setembro, com uma programação especial pelo Dia do Tietê (22/9).

Uma das maiores ameaças à proteção do Ribeira é o projeto da Usina Hidrelétrica de Tijuco Alto, proposta pela Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), empresa do Grupo Votorantim. A Usina seria instalada na divisa dos estados de São Paulo e Paraná. No Vale do Ribeira, sobrevivem comunidades quilombolas, caiçaras, índios Guarani e pescadores tradicionais. Lá está a maior área contínua de remanescentes de Mata Atlântica do País, com formações florestais, restingas, manguezais e um dos maiores complexos de cavernas do Brasil. Parte da região é considerada Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco.

´O Tietê é o exemplo do que pode acontecer com um rio submetido a interferências como as que há cerca de 20 anos tentam fazer no Ribeira´, afirma Malu Ribeiro, coordenadora da Rede das Águas da Fundação SOS Mata Atlântica. A viagem-protesto começa em Cerro Azul, no Paraná, passa pelas regiões ameaçadas, encontra comunidades de quilombolas, margeia alguns dos mais ricos remanescentes de Mata Atlântica na divisa dos estados de São Paulo e Paraná, suas ilustres cavernas e segue até Iguape (SP), onde está a foz do rio.

Junto com o Grito dos Excluídos, promovido pela Igreja Católica, a Fundação e representantes do Movimento dos Atingidos por Barragens, de outras ONGs e associações locais, fará uma passeata da Praça da Basílica de Iguape até o Valo Grande, outro símbolo da luta pela proteção do Ribeira. O Valo Grande é um canal artificial construído em 1848 com o objetivo de ligar o Rio Ribeira de Iguape ao Mar de Dentro. Ao longo do tempo, a largura deste canal tem aumentado e provocado assoreamento e poluição no entorno (o delicado ecossistema do Complexo Estuarino Lagunar), bem como desmoronamentos como o ocorrido no início deste ano, que acarretou na destruição de algumas casas.

Confira abaixo a programação completa da expedição Ribeira Independente de Barragem.


FUNDAÇÃO SOS MATA ATLÂNTICA

Programação - Expedição Ribeira Independente de Barragem

1o. DIA - 2/set - sábado - Cerro Azul
15h Visita a confluência dos rios Ribeirinha e Açungui
20h * Mobilização Cerro Azul

2o. DIA - 3/set - domingo - Cerro Azul
07h30 - * Mobilização no Mato Preto
09h00 - Descida do Rio com bote de Mato Preto até o Rocha
20h00 - *Mobilização na Barra do Rocha

3o. DIA - 4/set - segunda-feira - Cerro Azul / Adrianópolis / Iporanga
10h * Mobilização em Adrianópolis
13h * Mobilização em Itaóca (a confirmar)
16h * Mobilização na Beira Rio em Iporanga
20h * Mobilização no Bairro da Serra

4o. DIA - 5/set - terça-feira - Eldorado
09h30 – *Mobilização na Comunidade de André Lopes (perto do Rio)
14h00 – *Mobilização na Comunidade do Itapiuna

5o. DIA - 6/set - quarta-feira - 7 Barras / Registro (pernoite)
09h00 - * Mobilização na Beira Rio em Eldorado
13h30 - * Mobilização em 7 Barras
16h00 - Início do trecho de barco de 7 Barras para Registro (barco voadeira)

6o. DIA - 7/set - quinta-feira-feira - Registro / Pariquera / Iguape
08h00 * Mobilização em Registro na Beira Rio
16h30 * Chegada da expedição em Iguape na ponte do Valo Grande – encontro com o Grito!


Programação da Mobilização em Iguape
07 de setembro

GRITO DOS EXCLUÍDOS
E
CHEGADA DA EXPEDIÇÃO
RIBEIRA INDEPENDENTE DE BARRAGEM


13h00 - Encontro na praça da Basílica em Iguape
14h30 - Saída para caminhada por Iguape

1a Parada: Mar Pequeno
2a Parada: Passarela do Rocio
3a Parada: Valo Grande (praça próxima ao acidente)

16H30: Ponte do Valo Grande
CHEGADA DA EXPEDIÇÃO

FONTE:
http://www.sosma.org.br/?secao=noticias&id=395

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Lançamento do livro: A BIOTA DA FORMAÇÃO CRATO... - (23/08/2006)

´A BIOTA DA FORMAÇÃO CRATO, EOCRETÁCEO DA BACIA DO ARARIPE, NORDESTE DO BRASIL´ - 101p., (ISBN: 85-7716-120-X)

DE AUTORIA DE GERALDO MOURA (UFPE), ALCINA BARRETO (UFPE) E ANA MARIA BÁEZ (UBA-ARGENTINA), QUE SERÁ LANÇADO POR OCASIÃO DE UM COQUETEL NO DIA 27/08/06, AS 16h NA PRAÇA DA TORRE MALACOFE, NA CIDADE DE RECIFE-PE, O MESMO ESCONTRA-SE A VENDA NA SITE DA EDITORA (EDITORA ELÓGICA, LIVRO RÁPIDO)E NO CONGRESSO BRASILEIRA DE GEOLOGIA - SETEMBRO/ARACAJU COM OS RESPECTIVOS AUTORES.

ALCINA BARRETO E GERALDO MOURA

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

DECO STOP - nº 12 - Maio-Julho/2006 - (14/08/2006)

Acaba de ser lançado mais um numero da revista sobre mergulho técnico DECO STOP.
Esta edição está recheada de matérias interessantes e o destaque de espeleologia fica por conta da matéria ´Expedição Tocantins - Explorando os confins do Brasil´ - Romeu Dib e Daniel Vilela, integrantes do DSX, rodaram mais de 3.000 kms entre Minas Gerais, Tocantins e Bahia atrás de cavernas alagadas propícias ao mergulho. Conheça os resultados.

Mais informações:
http://www.DECOSTOP.COM.BR/

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Saudações Babilônicas - (03/08/2006)

A Babilônia sauda a todos os participantes da IIIº Expedição Tocantins pelo sucesso deste trabalho e aguardo todos na palestra do dia 19 de agosto na sede da SBE.

Um Abraço

Emerson Gomes Pedro

CANAL EM IGUAPE DESTROI 6 CASAS E INTERDITA 23. - (01/08/2006)

Casas destruídas se somam à pesca artesanal no rol de vítimas de canal, no Vale do Ribeira.

Na semana passada, seis casas foram destruídas e outras 23 interditadas em Iguape (SP) pelo comprometimento do solo infiltrado pelas águas do rio Ribeira que correm pelo canal, o chamado Valo Grande. Construído há mais de 150 anos, o canal prejudica a pesca no Complexo Estuarino Lagunar de Cananéia e, por consequência, a renda de dezenas de famílias de caiçaras.
Enquanto a região do Alto Vale do Ribeira, na divisa entre São Paulo e Paraná, enfrenta a ameaça da construção de barragens no rio Ribeira de Iguape, a região do Baixo Vale do Ribeira, litoral sul paulista, sofre as conseqüências de obra executada sobre o leito do mesmo rio. Na última quinta-feira, 27 de julho, seis casas da cidade de Iguape localizadas às margens do Valo Grande - canal que liga o Ribeira ao chamado Mar Pequeno, entre o continente e a Ilha Comprida - desmoronaram completamente. Outras vinte e três moradias sofreram danos menores e foram interditadas. A destruição foi causada pelo deslizamento de terra provocado pela infiltração da água do canal no solo que sustenta as casas.
Destruição causada pelo Valo Grande: fechamento do canal nunca foi priorizado pelo poder público.
Construído em 1848, o Valo Grande foi planejado como um atalho na ligação entre o rio Ribeira e o Mar Pequeno para facilitar o trajeto das embarcações que levavam o arroz produzido na região para os mercados europeus. Hoje o canal não tem utilidade alguma, ao contrário, é apontado na região como uma grande tragédia ambiental e econômica para todo o Vale do Ribeira. Ao longo dos anos, a passagem da água pelo canal causou infiltrações no solo que provocaram a ampliação desmedida de sua calha. Vinte anos após sua abertura, o canal já possuía aproximadamente 26 metros de largura, ou quase 7 vezes mais do que sua original. Hoje o canal tem cerca de 300 metros de largura.
O Valo Grande também afetou de forma negativa uma das principais atividades econômicas do litoral sul paulista, a pesca artesanal no Mar Pequeno, como é conhecido o Complexo Estuarino Lagunar. Pela sua calha, o rio Ribeira de Iguape despeja 2/3 de suas águas no estuário - apenas um terço segue até a foz do rio -, considerado um dos mais importantes ecossistemas costeiros do Brasil. Neste complexo de manguezais, restingas, praias e rios, existe uma intensa atividade pesqueira, com predominância para a pesca artesanal, que sustenta quase uma centena de famílias caiçaras. A entrada da água doce do Ribeira compromete o equilíbrio ecológico do estuário, provoca a contaminação das águas por metais pesados e pesticidas presentes no rio e altera a densidade e pH das águas do Mar Pequeno.
O biólogo Clodoaldo Gazzeta, do Instituto Ambiental Vidágua, afirma que o Valo Grande é responsável pela diminuição dos estoques pesqueiros e, conseqüentemente, pela redução da renda das famílias que vivem da pesca na região. ´Além disso, o desaparecimento de moluscos e crustáceos dos manguezais, o assoreamento do canal do Mar Pequeno e a contaminação por resíduos de agrotóxicos e chumbo trazidos pelas chuvas através das águas do rio Ribeira, são os sinais claros e evidentes que a região Lagunar está agonizando e necessita urgentemente de ações e programas que possam reverter esta situação´.
Em 1978 o governo estadual ergueu uma barragem no canal para controlar a passagem da água do rio para o Mar Pequeno. Cinco anos depois, porém, a barragem foi destruída por fortes chuvas que assolaram a região. Desde então, o canal permanece aberto. Nos anos em que a barragem esteve fechada, a região do estuário registrou o reaparecimento de várias espécies de moluscos, crustáceos e peixes.
No local da barragem, foi construída uma ponte e planejada, sob sua estrutura, a instalação de comportas para regular a vazão do rio pelo canal. A conclusão da obra, entretanto, nunca ocorreu e encontra resistência junto ao setor agrícola local, que teme que o fechamento do canal cause a inundação de suas plantações a montante do eixo da barragem. Especialistas afirmam, contudo, que o risco não existe e que a complementação das obras, junto com o reflorestamento das matas ciliares e o desassoreamento do trecho velho do rio Ribeira de Iguape, são obras emergenciais para evitar tragédias como a da semana passada.

FONTE: Noticias Socioambientais - ISA - 31/07/06
http://www.socioambiental.org/nsa/detalhe?id=2294

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Amargo regresso - (25/07/2006)

Há 33 anos, a arqueóloga Niéde Guidon explorou pela primeira vez a região da Serra da Capivara, no Piauí. Nunca mais quis estudar outro lugar. A região, que antes conhecia apenas de poucas fotos, revelou conter muito mais informações do que esperava, especialmente do ponto de vista científico.
Paulista de Jaú, formada pela Universidade de São Paulo, Niéde deixou o Brasil em 1964, aos 33 anos. Foi para a França, cursar pós-graduação na Sorbonne. Foi como integrante de uma equipe franco-brasileira que ela visitou pela primeira vez a área de onde nunca mais sairia. Pelo menos por enquanto.
Esse casamento, segundo confirmou a arqueóloga à Agência FAPESP, está prestes a ser desfeito. Há algumas semanas, ela havia anunciado a decisão de deixar a Serra da Capivara. E o discurso apresentado durante a 58ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Florianópolis, mostrou que está irredutível. ´Preciso de R$ 400 mil mensais para manter o parque. Sem isso, vou para a França no fim do ano´, disse.
Apesar de o governo federal estar ciente da situação, o Ministério do Meio Ambiente, que reconhece o trabalho feito no Piauí, declarou que não pode dar tratamento diferenciado para o parque nacional lá existente. Nenhuma das instituições brasileiras do tipo recebe um orçamento fixo.
Na contabilidade apresentada por Niéde, há dois anos o Ibama não repassa um centavo para a região. A última vez foi em 2004, com R$ 764 mil. ´Seriam necessários pelo menos 300 funcionários para fazer todo o serviço´, disse.
Em termos de infra-estrutura há outro problema. Como a região tem vocação nata para o ecoturismo, segundo Niéde, seria fundamental a construção de um aeroporto no local. Hoje, a forma mais fácil de chegar a São Raimundo Nonato é descer de avião em Petrolina (PE) e enfrentar uma estrada de 300 quilômetros, ´em péssimas condicões´, até o parque. ´Tenho notícia de que foram liberados, desde 1996, R$ 21 milhões para o aeroporto. O máximo que existe é o local, já desmatado, onde seria construída a pista´, disse.
O Parque Nacional da Serra da Capivara tem elevada importância por causa de pinturas rupestres e sítios arqueológicos intrigantes, encontrados na região pela própria equipe de Niéde. Mas, se a pesquisadora tem unanimidade quando o assunto é a luta pela preservação ambiental de uma área e pela preservação social de uma comunidade, o mesmo não ocorre quando o assunto são as teorias científicas defendidas por ela.
Segundo Niéde, os sítios arqueológicos datados em até 100 mil anos e os ossos humanos de 15 mil encontrados na região podem ser explicados de forma simples. ´A migração humana veio da África para o Norte do Brasil. E, depois, começou a se espalhar para o resto do continente´, disse. Para a pesquisadora, formada na escola européia, a tese de que o homem chegou às Américas pelo estreito de Bering não é uma teoria mundial da antropologia. ´Essa é uma visão extremamente norte-americana´, afirma.
Divergências teóricas com outros cientistas à parte, os sítios arqueológicos da Serra da Capivara são um importante e rico registro da pré-história do homem na América, que não pode ser abandonado.

Fonte: Eduardo Geraque - Agência FAPESP - 20/07/2006:
http://www.agencia.fapesp.br/boletim_dentro.php?id=5808

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Auriga 1.0 - (24/07/2006)

Después de dos años y media y 35 versiones beta desde su primera aparición pública, me complace anunciar la versión 1.0 de Auriga (no beta), el freeware de topografía de cavidades para los ordenadores de mano (PDA) bajo PalmOS.
El programa [software] ha sido probado con éxito por numerosos espeleólogos en el mundo y usado en varias expediciones internacionales. Y a los que se preguntan: sí, Auriga queda gratuito.
Información, artículos, guía del usuario y descarga en 3 lenguas:

http://www.speleo.qc.ca/Auriga

Luc Le Blanc

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Incra fará assentamento em reserva - (22/06/2006)

Cem famílias vão ocupar área de 7,7 mil hectares coberta pela Mata Atlântica em Apiaí, no Vale do Ribeira.
O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) vai assentar cem famílias do Movimento dos Sem-Terra (MST) numa área de 7,7 mil hectares coberta pela Mata Atlântica. O órgão federal desapropriou a Fazenda Vitória, em Apiaí, no Vale do Ribeira, a 326 quilômetros de São Paulo, para a instalação do assentamento. A posse do imóvel está marcada para o dia 28 de julho. Os sem-terra já estão acampados na entrada da propriedade. A fazenda fica no entorno do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (Petar) e faz parte do continuum do Vale do Ribeira, o maior maciço dessa floresta no País, considerado Reserva da Biosfera. A Mata Atlântica é protegida por leis federais por ser um dos ecossistemas mais ameaçados do mundo. O Petar abriga ainda o principal conjunto de grutas e cavernas do Brasil - algumas delas, no Núcleo Santana, abertas ao ecoturismo. O Incra desembolsou R$ 7,7 milhões pela terra com as benfeitorias, e ainda não se sabe quanto vai investir no assentamento. O órgão promete desenvolver um Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS), em que as famílias realizem programas de geração de renda sem destruir a mata.
A Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo é contra o projeto. Um laudo elaborado pelo Departamento Estadual de Proteção dos Recursos Naturais (DEPRN) mostra que 80% da fazenda é coberta por vegetação nativa da Mata Atlântica, cuja supressão é impossibilitada pelas leis existentes. Cerca de 60% dos solos são impróprios para a agricultura, em grau máximo. Uma incursão pelas terras mostra por que antigos projetos de exploração agrícola do local fracassaram. A fazenda fica nas encostas da Serra de Paranapiacaba e o terreno é muito acidentado. A terra, escura e arenosa, com muita turfa, fica encharcada e fofa quando chove. Do espigão do Morro da Bandeira, o ponto mais alto da fazenda, com 1.180 metros de altitude, é possível avistar grande parte do Petar.

Ninguém ainda sabe que uso dar à terra
Líder diz que seminário com Incra vai ajudar a ´amadurecer´ decisão.
As cem famílias que serão assentadas, cerca de 400 pessoas, estão acampadas há um ano e oito meses nas duas margens da Rodovia SP-250 e ainda não sabem o que vão fazer quando se apropriarem das terras da Fazenda Vitória. ´Isso será amadurecido num seminário que vamos ter com o pessoal do Incra´, diz o líder que se identificou apenas como Gabriel. ´A gente soube que a terra ia sair e veio para cá´, explicou. Gabriel garante que a mata será preservada. ´Vamos produzir mel e fazer agricultura orgânica.´
O diretor da Divisão de Reservas e Parques Estaduais do Instituto Florestal, Luís Roberto Numa de Oliveira, teme que os impactos do assentamento ultrapassem a área da fazenda e se reproduzam dentro do parque. ´É uma pena que uma área dessas vá ser utilizada para um tipo de ocupação que demanda a supressão da vegetação.´ De acordo com ele, a fazenda é mais propícia para o reassentamento de tribos indígenas que se instalaram em parques estaduais. Moradores de Apiaí também se articulam contra o assentamento.
´Não há como os sem-terra tirarem o sustento de um lugar como aquele´, diz o ex-prefeito Nilton Passoca de Toledo Silva. ´Tudo ali é mata e nascentes formadoras da Bacia do Ribeira, por isso deve ser preservado.´
O Incra informou que este será o terceiro assentamento com o conceito Projeto de Desenvolvimento Sustentável no Estado. Os outros funcionam na região de Serrana, norte do Estado, com 80 famílias, e em Eldorado, Vale do Ribeira, com 70 grupos familiares.

MLST tem fama de pacífico no Pontal
Membros são instruídos pelo líder a invadir sem agredir ou depredar
Depois de invadir a Fazenda Nossa Senhora Aparecida em Presidente Epitácio, a 650 quilômetros de São Paulo, no dia 29 de abril deste ano, o Movimento de Libertação dos Sem-Terra (MLST) ganhou, na região, a fama de ser pacífico. As 49 famílias entraram na propriedade sem cortar cerca, arrebentar cadeados, destruir lavouras ou matar gado.
A área fica no Pontal do Paranapanema, dominado pelo Movimento dos Sem-Terra (MST), do qual o MSLT é uma dissidência. A região tem uma história recente marcada pelas invasões violentas e conflitos com fazendeiros. No caso da Nossa Senhora Aparecida, ao invés de requerer a reintegração de posse para expulsar os invasores, a dona das terras, Irma Baldo Dias, ofereceu os 246 hectares ao Incra.
O movimento foi organizado há oito meses na região pelo sem-terra Gilmar de Jesus, de 28 anos, ex-coordenador do MST. A proposta era ´ocupar sem destruir´, segundo ele. ´O pessoal estava cansado daquela luta de antigamente, quando se entrava para bagunçar tudo.´
Por isso, as depredações protagonizadas pelo movimento na Câmara dos Deputados, em Brasília, deixaram os integrantes ´de cabeça baixa´, segundo ele. ´Na ocupação, nosso pessoal é orientado para não cortar cerca, nem estragar. Se alguém pega alguma coisa da fazenda é expulso.´ Ele garante que essa orientação vale para outros grupos do movimento, pelo menos em São Paulo.
O MLST tem acampamentos em Restinga, na região de Franca, Ribeirão Preto e Cristais Paulista. ´Lá para cima (Norte e Nordeste) eu não sei como é, mas com certeza o que aconteceu em Brasília não tem a ver com nosso movimento.´ Ele acha que os sem-terra podem ter sido influenciados pelo grupo de estudantes que protestava na Câmara. Gilmar garante que nenhum integrante da região participou dos atos de vandalismo em Brasília.

FONTE: O Estado de S. Paulo - 12/06/2006
José Maria Tomazela


MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

UFBA e SBAE - (02/05/2006)

Prezados senhores,
Os estudantes de Geologia, Biologia, Geografia, Engenharia e História, vão se unir na SBAE, afim de desenvolver trabalhos espeleológicos no estado da Bahia. Queremos participar de algum estudo que esteja em andamento.
Os estudantes da UFBA farão cursos de:
-Espeleologia;
-Técnicas Verticais;
-Auto-Resgate;
-Escalada em Rocha;
-Primeiros-socorros;
-Mergulho;
-Topografia;
-Mapeamento;
-Paleontologia;
etc...
Portanto, a galera do sudeste e centro-este do país que estiver realizando trabalho no nosso estado, favor entrar em contato para iniciarmos uma parceria nos estudos. Estamos dispostos a ajudar no que for preciso.
Agradeço antecipadamente!
Abraços cordiais,
Kao Koester- ´K2´
k2kalango@yahoo.com.br

Fonte: E-mail enviado em 21/04/2006 por k2kalango@yahoo.com.br

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

Gabriela Slavec da UPE da Entrevista a site - (14/03/2006)

Gabriela Slavec, filha de um dos pioneiros da espeleologia nacional, Peter Slavec, concedeu entrevista ao site 360 graus, onde explica e enaltece vários aspectos referentes à espeleologia. Vele a pena conferir. Acesse em www.360graus.com.br

RICARDO DE SOUZA MARTINELLI

Monumento Natural Caverna da Lancinha - (06/03/2006)

No último dia 02/03/2006, foi realizada a segunda consulta pública na cidade de Rio Branco do Sul em prol da criação do Monumento Natural da Gruta da Lancinha, com a presença de várias autoridades e proprietários das áreas de entorno, além de engenheiros do IAP - Instituto Ambiental do Paraná.
O grupo espeleo VOTUVERAVA, o principal defensor desta cavidade, estão muito contentes com o andamento das coisas e acreditam que desta vez a coisa sai.



TATU - Grupo de Caverna e Montanha de Rio Branco do Sul

Aranha com 1 milímetro na Arrábida - (23/02/2006)

Tem um milímetro, quase tanto como uma pulga, mas é uma aranha, das mais pequenas do Mundo. Esta micro-recordista vive no Parque Natural da Arrábida, ao que tudo indica na gruta do Frade.
O minúsculo bicho foi encontrado por acaso no final do ano passado, quando decorriam trabalhos de exploração e estudo da gruta. Ninguém deu por ele, a não ser no laboratório. ´Não a vimos na gruta. Deve ter ido agarrada às amostras de fauna e flora cavernícolas´, conta Francisco Rasteiro, presidente do Núcleo de Espeleologia da Costa Azul (NECA).
O biólogo especialista em aranhas Pedro Cardoso está entusiasmado com a descoberta. ´É quase certo que a nossa aranha de quatro olhos é uma anapistula symphytognathidae.´ Os exemplares encontrados são fêmeas, amarelas, de patas curtas, com cerca de um milímetro. ´Nunca vi uma aranha adulta tão pequena.´ O macho, que os espeleólogos não encontraram, é ainda mais pequeno – 0,4 milímetros.
ESTADO NÃO APOIA
Caso se confirme tratar-se de uma anapistula, a da Arrábida será a única conhecida na Europa. Os parentes mais próximos encontram-se na África sub-sariana. ´Apesar da extrema dificuldade de encontrar animais com poucos milímetros de comprimento, a equipa de trabalho tem conseguido descobri-los e fotografá-los´, celebra Francisco Rasteiro, lamentando apenas que o Instituto da Conservação da Natureza não tenha mostrado interesse em apoiar o estudo da gruta do Frade.
´Logo que for possível efectivar estudos mais concretos com especialistas na área da bioespeleologia, será dado um passo importante na compreensão de todo o ecossistema cársico [relevo em rochas calcárias, por acção das águas], bem como da relação com os agentes do exterior.´
COMEDORA DE PÁSSAROS
A ciência tem catalogado como a mais pequena aranha do Mundo o macho da espécie ´Patu digua´, originário do Bornéu, com 0,37 milímetros de comprimento. No entanto, o mais famoso dos aracnídeos é a tarântula. E é desta espécie que faz parte a maior aranha do reino animal, conhecida como Golias, capaz de comer pássaros, sapos, lagartos e ratos.

FONTE: Isabel Ramos, Correio da Manha, Portugal, 14/02/2006
http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=191608&idselect=10&idCanal=10&p=94

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

InformAtivo SBE nº 91 - Agora totalmente em cores - (10/02/2006)

No XV EPELEO a SBE lançou o InformAtivo SBE Nº91. Os sócios presentes no evento já receberam um exemplar e os demais, receberão pelo correio.
Na capa, uma foto da Caverna Scarisoara, nas Montanhas Apuseni, na Romênia, mostra que a edição está cheia de novidades, começando pelos relatos sobre as Cavernas da Romênia e o Congresso na Grécia.
O Nº91 do InformAtivo SBE tem todas as páginas coloridas e é uma edição especial, para comemorar os bons resultados da nova diretoria nesse início de gestão.
Por ser uma edição especial com quase 50 páginas e totalmente colorida, os preçõs serão de R$5 para sócios e R$8 para não-sócios, mais despesas de envio.

Aquisições pelo e-mail secretaria@sbe.com.br

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

UNICAMP LANÇA REVISTA DIDÁTICA - (06/02/2006)

O Instituto de Geociências (IG) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) lançou o periódico Terræ Didatica, destinado à divulgação de materiais didáticos, recursos educativos e informações de interesse geral para as comunidades de geologia, geografia e educação.
A publicação é eletrônica e a pri-meira edição, já disponível na internet, tem 96 páginas. Os textos podem ser baixados gratuitamente.
O objetivo central da publicação é estimular o intercâmbio de experiências pedagógicas entre pesquisadores e educadores do ensino fundamental e médio.
A revista já está recebendo resumos de colaboradoes que queiram divulgar seus trabalhos no próximo número, que será lançado em julho.
As páginas eletrônicas da edição incluem o resumo dos principais eventos relacionados ao ensino da geologia. Novidades nos cursos de graduação e debates sobre a formação dos geólogos também são temas em pauta.
O site para download dos artigos daTerræ Didaticaé www.ige.unicamp.br/terraedidatica.

FONTE: SBE Notícias, nº 4 - 03/02/06

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

LICENÇA AMBIENTAL DE ATIVIDADE MINERÁRIA - (03/02/2006)

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente de São Paulo e a Cetesb- Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental- estão disponibilizando em seus sites a minuta da resolução que disciplina o licenciamento ambiental das atividades minerárias no Estado de São Paulo, integrando os procedimentos dos órgãos públicos responsáveis.
Os interessados em apresentar sugestões ou críticas ao texto podem fazê-lo até o dia 15/02 pelo e-mail cprn.daia@cetesb.sp.gov.br.
As sugestões apresentadas serão avaliadas pelo grupo de trabalho responsável pela revisão da Resolução 4/99. A nova resolução será apresentada em reunião pública, às 09:00 horas do dia 14 de março.

Fonte: SBE Notícias nº3, 23/01/2006, p. 2

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

27 NOVAS ESPÉCIES EM CAVERNAS DA CALIFÓRNIA - (30/01/2006)

Vinte e sete novas espécies de animais foram encontradas em cavernas de dois parques nacionais, na Califórnia, EUA.
Entre as espécies estão aranhas, centopéias e escorpiões. O estudo das criaturas foi feito durantes 3 anos, em 30 cavernas dos parques nacionais Sequoia e Kings Canyon.
Os estudos foram feitos pelos funcionários dos parques e biólogos de Austin, no Texas, que se espantaram com o número de novas espécies.
Responsáveis pelos parques disseram que as novas espécies podem mostrar muitas informações sobre os problemas e mudanças ambientais, devido ao senso auditivo desses animais.
Os parques de Sequoia e Kings Canyon abrigam mais de 230 cavernas.

FONTE: SBE Notícias nº 3 - 23/01/06

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

PROJETO JUVENAL ENCERRA ATIVIDADES - (16/01/2006)

No último mês de dezembro, depois de mais de 200 horas de trabalho iniciadas em 2001, o Projeto Juvenal realizou a última incursão ao Abismo do Juvenal (o maior abismo em rocha calcária do Brasil).
´Ainda existe dentro da caverna muito que explorar, mas deixaremos para o futuro´, afirmou Luiz Eduardo Spinelli, Coordenador do Projeto.
Em três fases, a equipe explorou e mapeou dois novos condutos dentro do abismo, desvendou o mistério do alto da sua galeria principal e descobriu quatro novas cavernas nas suas proximidades.
O Projeto Juvenal ajudou no trabalho de pesquisa e retirada de fósseis realizado pelo Museu de Zoologia da USP.
Os interessados nos resultados dos 4 anos de explorações podem conferir as informações em: http://www.projetojuvenal.com.br
O Projeto Juvenal também foi apresentado no 28º Congresso Brasileiro de Espeleologia, realizado pela SBE em Campinas (SP), em julho de 2005 e o trabalho está disponível nos anais do evento.

FONTE: SBE Botícias nº 2 - 13/01/2006

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

DECRETO CRIA O PARQUE ESTADUAL DA LAPA GRANDE - (13/01/2006)

O Decreto Estadual nº44.204 publicado na ultima quarta feira (11/01) cria o Parque Estadual da Lapa Grande.
O objetivo do parque é proteger um imporante sítio espeleológico e arqueológico nas imediações de Montes Claros MG, com cerca de 35 cavidades, em especial a Lapa Grande que dá nome ao parque.
A área do parque é de aproximadamente sete mil hectares, mas ´A definição exata da dimensão do parque será obtida após o georeferenciamento da área, trabalho que será executado pelo IEF nos próximos meses´, afirma Geovane Miranda.
O Parque é o 26º do Estado de Minas Gerais e está enquadrado no Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC - Lei 9.985 de 18/07/2000) como unidade de proteção integral, permitindo um imporatnte incremento no turismo da região.
´A iniciativa de criar o Parque vem consolidar antigos projetos pela luta da sustentabilidade regional. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Instituto Estadual de Florestas, Universidade Estadual de Montes Claros, Instituto Grande Sertão e Espeleogrupo Peter Lund, tornan-se parceiros comuns, entendendo que a preservação do acervo histórico, natural, espeleológico e arqueológico perfazem um novo espaço para estudos técnico-científicos´ informa Cássio Alexandre da Silva (SBE nº 0658) de Montes Claros.

FONTE: SBE Notícias nº 2 - 13/01/2006
www.sbe.com.br/sbenoticias.asp

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO

SBE NOTICIAS - NOVO BOLETIM ELETRÔNICO - (04/01/2006)

A SBE acaba de lançar um novo canal de comunicação com a comunidade espeleológica, o boletim eletrônico SBE Notícias.
O primeiro numero do boletim saiu hoje (04/01/06) e já está disponível para qualuer interessado no site www.sbe.com.br/sbenoticias.asp

BOA LEITURA!

MARCELO AUGUSTO RASTEIRO